Xintoísmo a Religião tão antiga quanto o Japão

Sumario

-O que é o Xintoísmo
-A história por trás do xintoísmo
-O Xintoísmo nos dias atuais
-Músicas e roupas para os deuses do xintó
-Galeria

Xintoísmo (“o caminho dos deuses”) é a fé indígena do povo japonês e tão antiga quanto o próprio Japão. Continua sendo a principal religião do Japão ao lado do budismo.

Vamos falar sobre o Xintoísmo

O xintoísmo não tem um fundador nem tem escrituras sagradas como os sutras ou a Bíblia. Propaganda e pregação também não são comuns, porque o xintoísmo está profundamente enraizado no povo japonês e nas tradições.

“Deuses xintoísmos” são chamados de kami. São espíritos sagrados que tomam a forma de coisas e conceitos importantes para a vida, como vento, chuva, montanhas, árvores, rios e fertilidade. Os humanos se tornam kami depois de morrerem e são reverenciados por suas famílias como kami ancestral. Os kami de pessoas extraordinárias estão até consagrados em alguns santuários. A Deusa do Sol Amaterasu é considerada a kami mais importante do Xintoísmo.

Ao contrário de muitas religiões monoteístas, não há absolutos no xintoísmo. Não há certo e errado absoluto, e ninguém é perfeito. O xintoísmo é uma fé otimista, pois os humanos são considerados fundamentalmente bons, e acredita-se que o mal seja causado por espíritos malignos. Consequentemente, o propósito da maioria dos rituais xintoísmos é afastar espíritos malignos por purificação, orações e oferendas aos kami.

Santuários xintoísmos são os lugares de adoração e as casas de kami. A maioria dos santuários celebra festivais (matsuri) regularmente, a fim de mostrar aos kami o mundo exterior. Sacerdotes xintoísmos realizam rituais xintoísmos e muitas vezes vivem nas terras do santuário. Homens e mulheres podem se tornar padres, e eles podem se casar e ter filhos. Os sacerdotes são auxiliados por mulheres mais jovens (miko) durante rituais e tarefas do santuário. Miko usa quimono branco, deve ser solteira, e muitas vezes são filhas dos padres.

Características importantes da arte xintoísta são a arquitetura do santuário e o cultivo e preservação de formas de arte antigas como teatro Noh, caligrafia e música de corte (gagaku), uma música dançante que se originou nas cortes de Tang China (618-907).

A História Por traz do Xintoísmo

A introdução do budismo no século VI foi seguida por alguns conflitos iniciais, no entanto, as duas religiões logo foram capazes de coexistir e até mesmo se complementar, considerando kami como manifestações de Buda.

No Período Meiji,o xintoísmo tornou-se a religião estatal do Japão. Sacerdotes xintoísmos tornaram-se funcionários do Estado, importantes santuários receberam financiamento governamental, os mitos da criação do Japão foram usados para promover uma identidade nacional com o Imperador em seu centro, e esforços foram feitos para separar e emancipar o xintoísmo do budismo.

Após a Segunda Guerra Mundial, O xintoísmo e o Estado foram separados.

O Xintoísmo nos dias atuais

As pessoas buscam apoio do xintoísmo orando em um altar de casa ou visitando santuários. Toda uma gama de talismãs estão disponíveis em santuários para segurança no trânsito, boa saúde, sucesso nos negócios, parto seguro, bom desempenho no exame e muito mais.

Muitas cerimônias de casamento são realizadas em estilo xintoísta. A morte, no entanto, é considerada uma fonte de impureza e é deixada ao budismo para lidar. Consequentemente, praticamente não há cemitérios xintoísmos, e a maioria dos funerais são realizados em estilo budista.

Músicas e roupas para os deuses do xintó

Os deuses xintoístas gostam de música. Nesta religião a música é elemento indispensável para o chamamento das divindades, é o ritual a que os xintoístas denominam “Kagura”. Desde os tempos mais remotos da religião a “Kagura” era empregada e crê-se que esse ritual seja capaz de abrandar os espíritos, além de divertir os deuses. Outra curiosidade sobre o panteão xintó é que todos os deuses vestem roupas aristocráticas confeccionadas por Amaterasu (a deusa do sol) e suas tecelãs. Isso legou um costume que atravessou séculos, pois até os dias de hoje são as sacerdotisas as responsáveis por tecer os trajes para as grandes cerimônias.

Sites Recomendados:

-Jinja Honcho: Site oficial da Associação dos Santuários Xintoístas.

-Gods of Japan: Introdução de divindades budistas e xintoístas.

GALERIA

Deixe aqui seu Comentário

Contagem de Números em Japon

Aprender Japonês e Cultura Japonesa