Yami no Ichinichi – O Crime que abalou a Colônia Japonesa no Brasil

Yami no Ichinichi é um documentário lançado no ano de 2012 por Mario Jun Okuhara que fala sobre as duras realidades enfrentadas pelos primeiros imigrantes japoneses ao chegarem ao brasil.

Sumario:

-Os Japoneses - A colônia japonesa no Brasil
-Tsukuichi Hidaka
-Volta no Tempo - A chega dos japoneses
-O atentado a Jinsaku Wakiyama
-Lembrando
-Livro
-Documentário

Saíram da sua terra natal com a esperança de um recomeço, buscando um lar temporário para suas famílias e uma boa condição de vida até poderem retornar novamente para o Japão (já que o naquela época o Japão passava por uma enorme crise financeira por causa da guerra) mas não foi como pensavam.

Os Japoneses

Após a chegada a comunidade nipônica já sofria de certo preconceito, que se intensificou quando o Japão entrou em guerra contra os estados unidos (pais em que o brasil foi aliado na 2 guerra mundial), com isso uma série de regras passaram a ser impostas a comunidade nipônica entre elas.

Era uma época em que o mundo estava em plena 2 guerras mundial, e o brasil vivia em uma intensa e feroz ditadura militar (A tão conhecida era Vargas)

  • Eram proibidos de falar japonês
  • Eram proibidos de terem acesso a qualquer veículo de comunicação em língua japonesa

A principal motivação dessas leis era impedir que os japoneses tivessem acesso a qualquer informação sobre o que estava acontecendo no Japão na 2 guerra, o que causou muita violência dentro da comunidade japonesa, por parte dos brasileiros e nipônicos.

Tokuichi Hidaka

O documentário gira em torno da vida de Tokuichi Hidaka que é o último sobrevivente dos anos frios e violentos que se seguiram com o fim da 2 guerra mundial, foi um dos 170 japoneses que cumpriram pena no presidio de anshieta em 1946 (apenas 1 ano depois do fim da 2 guerra), o motivo da prisão de Tokuichi Hidaka foi ter participado do atentado que terminou com a morte do coronel reformado Jinsaku Wakiyama.

No documentário Tokuichi Hidaka comenta que dos 170 japoneses presos no presidio, cerca de 130 a 140 eram inocentes que nunca fizeram nada, mas que por alguma razão eram alvos de denúncias, eram pessoas que acreditavam na vitória do Japão, e a maneira que a polícia da época usava para saber quem era espião ou não, era exigir que os japonês pisassem na bandeira japonesa ou mesmo na foto do imperador, e o resultado disso foi a prisão disso foi a prisão de todos que se recusaram a cometer esse ato.

Voltando um pouco no tempo 1908, Ano 41 da Era Meiji

Ir para o Brasil Significava ganhar dinheiro. O que na realidade era uma ilusão.
Esse foi o começo da imigração para o Brasil.

Kasato-maru” foi o primeiro navio desta imigração, em um período de 10 anos, mais de 130 mil imigrantes japoneses chegaram ao brasil e justamente eram aquelas pessoas que possuíam o espirito da Era Meiji, ou seja possuíam um poderoso orgulho por sua nação e acreditavam que estavam em par de igualdade com os outros países durante a 2 guerra mundial, ou seja acreditavam em sua raça, e isso fortaleceu o orgulho japonês, adoravam o imperador e possuíam um enorme orgulho por sua bandeira e nação. e esse foi o pensamento de Tokuishi Hidaka que possuía um pai nacionalista que inspirou isso nele.

Tokuichi Hidaka e o motivo do atentado

Em 1945 o anuncio de rendição do Japão soou falsa para a sociedade nipônica que acreditava firmemente na sua nação, achavam que se tratava apenas de mais um ato de propaganda para controlar os imigrantes.

Em 17 de agosto enquanto alguns anunciavam a rendição do Japão, outros já no dia seguinte afirmavam que o Japão havia vencido, e essas notícias se espalharam.

Em 1945 o Imperador Hirohito anuncia a rendição incondicional do Japão pelo rádio em cadeia nacional. Mas os japoneses da colônia não acreditaram no que estavam ouvindo e consequentemente acharam que se tratava de um traidor da pátria que estava se passando pelo imperador

Tinham uma ideia fixa na mente que os jornais japoneses falavam a verdade e que os jornais brasileiros estavam mentindo para controlá-los, possuíam um sentimento forte na vitória do Japão.

As informações brasileiras sobre a derrota eram abundantes, mais o sentimento de não querer acreditar na derrota do Japão era maior.

Foi então que Tokuichi Hidaka, que, em 1946, aos 19 anos de idade e mais 3 amigos assassinaram o coronel Jinsaku Wakiyama, um dos principais líderes das comunidades nipônicas, pois acreditavam que ele estavam juntamente com os brasileiros enganando a sociedade nipônica ao dizer que o Japão havia perdido a guerra (o que para eles era inadmissível, acreditavam estar detendo um traidor da pátria), Atribuindo o crime a uma entidade denominada Shindo Renmei (Liga dos Caminhos dos Súditos).

Entregou-se à polícia com o restante do grupo e cumpriu 15 anos de prisão. Em liberdade, sofreu a punição da colônia japonesa: foi discriminado, condenado ao ostracismo, sem oportunidade para contar a sua versão. Décadas mais tarde, Hidaka inicia uma busca por amigos e pessoas desse período para reconstruir a memória da época e encontrar o sentido da sua vida no Brasil.

Lembrando…

Para a comunidade japonesa no brasil, naquela época, foram impostas brutais repressão e restrição, havia uma polícia política que buscava trazer inimizade entre os japoneses e os brasileiros com o objetivo de trazer a tortura e humilhação.

Quer saber mais com mais detalhes Veja online ou compre o Livro: Corações Sujos

VER DOCUMENTARIO

Compartilhar

Deixe aqui seu Comentário